Quebra-Nozes é interpretado por bailarinos cegos

O clássico natalino “Quebra Nozes” ganha ainda mais emoção ao ser apresentado pela Associação de Ballet para Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo. O espetáculo será dia 29/11, sexta-feira, às 20h30, no auditório do Ibirapuera, em São Paulo e promete momentos únicos. Os ingressos, cuja venda será parcialmente revertida para a Cia, custam R$ 20 inteira e R$ 10 meia-entrada e estão à venda pelo www.ingresso.com e na bilheteria do auditório. A censura é livre. O ballet de repertório, com audiodescrição, envolverá cerca de 80 pessoas, entre bailarinos – a maioria deficientes visuais ou com outros tipos de deficiências – e professores. Para poder receber de forma adequada os deficientes visuais que irão prestigiar o ballet, haverá audiodescrição: tradução em palavras de toda imagem necessária à compreensão do conteúdo audiovisual pelas pessoas que estejam definitiva ou temporariamente impossibilitadas de ver. “É uma forma de respeitar as pessoas deficientes visuais e fico muito feliz quando elas participam e nos prestigiam”, diz Fernanda Bianchini, idealizadora da Cia. de Ballet.

Cia. Ballet para cegos Fernanda Bianchini A Associação Ballet de Cegos Fernanda Bianchini, única companhia profissional de ballet para cegos do mundo, existe há 18 anos. Tem como objetivo principal a integração social de deficientes visuais, de baixa renda, através da dança, principalmente do Ballet Clássico. A entidade é mantida pelo belo trabalho voluntário realizado pela fisioterapeuta Fernanda Bianchini cujo lema é: aprender a ver a dança com o coração. “É um método pioneiro que permite ao deficiente visual aprender dançar ballet de forma graciosa como qualquer outro bailarino. O aprendizado se inicia no toque, o passo é ensinado a cada aluno pelo contato& #8221; explica Fernanda. Inclusão e acessibilidade. Estas são as palavras que diferenciam o ballet: a maioria dos bailarinos é deficiente visual e uma pequena porcentagem com outros tipos de deficiências. Outros poucos bailarinos estão na “inclusão às avessas”, no qual pessoas com nenhuma deficiência participam e interagem. Cerca de 60 bailarinos portadores de deficiência visual são atendidos e mais de 300 bailarinos formados. Nestes anos ganhou reconhecimento nacional e internacional. Por enquanto, são mais de 100 prêmios em competições e festivais e duas apresentações no exterior. A última importante atuação foi no encerramento das paralimpíadas de Londres. Além da magnitude do projeto, o que chama atenção é o fato da associação ter professores também deficientes visuais. “É uma prova de que não há limites para quem se dedica e acredita& #8221;, afirma Fernanda Bianchini. “É maravilhoso ver a alegria de nossos bailarinos em sentirem que podem fazer algo único e especial, superando todos os limites que a sociedade normalmente impõe aos deficientes”, completa. Para se manter, a Cia. conta com doações de pessoas físicas e jurídicas, palestras motivacionais para empresas, bazares beneficentes e de suas apresentações.

www.ciafernandabianchini.org.br

Serviço “Quebra Nozes”

Dia 29/11/2013
Auditório do Ibirapuera – av. Pedro Álvares Cabral – Portão 03 Parque do Ibirapuera – SP
Horário: 20h30
Ingressos: R$ 20 inteira e R$ 10 meia entrada
Pontos de venda: www.ingresso.com ou na bilheteria (tel para informações sobre horário da bilheteria: 11 – 3629 1075)
Censura: livre
Número de lugares: 800
Acesso para pessoas com deficiência
Duração: cerca de 90 minutos
Coreografia: Marius Petipá e Leon Ivanov
Música: Peter Lych Tchaikowski
Adaptações: Carlos Eduardo B. Rios, Cesar Albuquerque, Daniela Sanches, Fernanda Bianchini Saad, Luna, Márcia Bueno, Rafael Kubano
Coordenador Responsável: Cesar Albuquerque
Direção: Fernanda Bianchini Saad

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.