Filme: “Candidato”: Campanha do IBDD destaca inclusão da pessoa com deficiência

Está sendo veiculado, nas principais emissoras brasileiras de TV, um projeto de conscientização muito especial criado para o IBDD: o filme “Candidato”, idealizado pela Giacometti Comunicação/Rio de Janeiro, e dirigido por Quico Meirelles, da O2 Filmes. O anúncio, desenvolvido especialmente para o Instituto, procura de forma criativa e bem-humorada contribuir para a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

“A intenção do filme foi estimular a reflexão da população e, em particular, dos empresários sobre um problema que parece não ter fim, o estigma que acompanha a pessoa com deficiência na hora de procurar um emprego, que se traduz no pensamento arcaico e preconceituoso de que ela não conseguirá atingir o mesmo patamar de qualidade dos outros profissionais da empresa”, analisa João Santos, diretor de criação da Giacometti.

“Candidato” mostra uma entrevista de seleção e a conversa entre os diretores de uma corporação (os três com deficiência), que levantam motivos despropositados para não contratar o candidato à vaga, apesar de ser um bom profissional. O letreiro completa: “As razões para não contratar um deficiente são absurdas assim”. E, ao final, destaca: “Saiba como contratar”, texto acompanhado pelo logotipo do IBDD. Os três principais atores do anúncio são pessoas com deficiência.

“Apesar de o problema ser extremamente grave, ao invés de criar uma situação dramática, convencional, onde o deficiente aparecesse em posição de vítima, preferimos apostar na ironia bem-humorada, no nonsense que surpreende e faz pensar. Assim, criamos esta situação de um mundo alternativo, em que pessoas com deficiência são os detentores do poder e, com alguns argumentos ridículos, desqualificam um candidato ‘convencional’ para uma vaga que ele certamente poderia exercer”, explica o publicitário.

“O filme tem a força dos argumentos que não deixam dúvidas. Ele denuncia o preconceito empresarial contra a pessoa com deficiência, e pode levar a uma mudança na atitude das empresas”, avalia Celso Japiassu, diretor de Comunicação do IBDD. “O espectador que está em casa tem assim a possibilidade de se colocar no lugar do ‘rejeitado’ e refletir um pouco, de maneira divertida e sem apelação, sobre o dilema da pessoa com deficiência”, completa João Santos.

A produção foi realizada pro-bono contribuindo com a iniciativa do IBDD. Até o momento, foi firmada a parceria para veiculação na mídia com a TV Brasil, Esporte Interativo, TV Cultura, Rede TV!, TV Bandeirantes e FOX.

Deixe uma resposta