Cia Fernanda Bianchini de Ballets de Cegos: 15 anos de história

Divertssiments é o termo usado para descrever uma grande variedade de obras seculares instrumentais, vocal, por solistas ou câmara. É uma espécie de entretenimento com música, atual proposta artística da Associação de Ballet e Artes Fernanda Bianchini, um balé clássico livre e do balé de repertório Don Quixote. Há mais de 15 anos ensinando e inserindo deficientes visuais na prática de balé clássico, entre outros estilos de dança, Fernanda Bianchini, especializada em distúrbios do desenvolvimento, se dedica a tornar a vida de seus estudantes ainda melhor e mostrar o quanto são capazes.

A Cia Fernanda Bianchini de Ballets de Cegos foi formada após sete anos que a professora desenvolvia o trabalho. Além do balé clássico profissionalizante, também ensina dança de salão, sapateado, música, canto, violão e outras atividades voltadas ao deficiente visual. Do total de vagas, 10% são disponibilizadas para quem não tem nenhum tipo de deficiência, como forma de trabalhar a inclusão às avessas.

No final de 2003, o Instituto de Cegos, decidiu terminar com a atividade do grupo em suas instalações. Para que o trabalho não acabasse, pais, amigos e colaboradores resolveram montar uma associação. Com o nome de Associação de Balé de Cegos Fernanda Bianchini, localizada na rua Humberto I, 298, na Vila Mariana – São Paulo, o grupo iniciou uma nova fase, com objetivos mais amplos.

Diz o blog da companhia (veja o link abaixo):

Enfrentamos inúmeras dificuldades principalmente em relação ao preconceito das pessoas envolvidas com o ballet. Todos achavam que o ballet para cegos seria impossível. Com força de vontade e dedicação fomos ganhando credibilidade e apausos verdadeiros não apenas pela superação de nossas alunas e sim pela belíssima arte desenvolvida por elas.

Muitas pessoas estiveram conosco neste projeto, no início todas éramos voluntarias, tive duas amigas, Fabiana Locoselli e Fabiana Del Carlo da faculdade e depois uma amiga do ballet, a Ingrid Calmona. Nunca naquela época imaginávamos que o trabalho tomaria tamanho proporção. Atualmente elas já não estão mais conosco.

Depois a amiga e professora Marcia Bueno que está conosco até hoje que muito contribuiu juntamente com suas alunas do Ballet Marcia Bueno motrando sempre que a inclusão é possível. Atualmente temos 10 professores desenvolvendo belíssimos trabalhos.

Faz parte também dos objetivos da Associação estar qualificando profissionais da área de dança que tenham interesse em trabalhar com deficientes visuais. Assim, deficientes visuais de outros estados poderão estar se beneficiando com a técnica desenvolvida por Fernanda Bianchini.

Fonte: Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini

Deixe uma resposta